Monday, December 04, 2006

ANIMAIS

Aves
Abelharuco
(+) Foto original (800x773)
Wallpaper Postal
Nome científico
Merops apiaster
Nome em Inglês: Bee-eater Os abelharucos podem ser encontrados em vastas regiões do planeta, nos dois hemisférios, nomeadamente em África e na Europa.A sua alimentação consiste basicamente em frutos, sementes e insectos.Os abelharucos vivem em colónias numerosas, e escavam os seus ninhos nas encostas de areia, ou terra macia. As fêmeaspõe em média 3 a 9 ovos. O tamanho médio destas aves quando adultas é de 35 cm.A espécie não corre qualquer perigo e a quantidade destas aves é abundante em muitos locais dos continentes onde vivem.
ChinaAs autoridades chinesas estão a preparar formas legais de condicionar o número de cães que cada habitação pode ter. Estas limitações estão a ser estudadas depois dos surtos de raiva que surgiram em vários pontos do território chinês e que levaram a que centenas de milhar de animais fossem chassinados pelos populares em pânico, depois de terem sido infectadas mais de 300 pessoas.Segundo os especialistas que estudaram o aparecimento e disseminação «explosiva» da raiva na China, a culpa é do elevado número de cães existente por habitação, sem terem os animais alguma vez sido vacinados. Assim, os responsáveis chineses esperam conter esta onda de casos de raiva que atravessou algumas zonas do país, e prevenir o aparecimento de novos surtos incontroláveis.Junto da população, esta medida não está a ser bem recebida. Primeiro, porque vão ter que abater muitos cães e escolher os que morrem e os que vivem. Depois porque, como sempre acontece em situações idênticas, muitos animais vão ser abandonados à sua sorte. Já a pensar nesta possibilidade, todos aqueles que forem indiciados de abandonar cães, vão ser fortemente penalizados.

Aves
Arara
(+) Foto original (600x900)
Wallpaper Postal



Esta ave tem a sua origem na América Central e na América do Sul. Trepadora por natureza, a Arara gosta de ter poleiros resistentes ou paredes rochosas, onde possa usar toda a força que tem nas patas. Brincalhona e afável, é uma óptima companhia para toda a família, ao contrário de outras, que elegem um dono apenas.Para quem pensa adquirir um animal destes, é bom saber que estas aves se tornam muito grandes em adultas, com cerca de 85cm de altura, e podem viver cerca de 40 anos.Mais importante que tudo isso é o facto de poder estar a entrar em extinção, devido ao grande número de exemplares capturados e à crescente desmatação a que se vem assistindo nesta área do globo.Portanto, se pretende adquirir um animal desta espécie, saiba de onde vem, se de um criador certificado, e aí recomendamos a sua aquisição, ou se foi capturada na natureza, e aí, não só deve negar a sua aquisição, como informar as autoridades competentes, este é um dever que todos temos, para não alimentar um negócio sem regras e proibido pelas leis internacionais.Este é um animal que necessita de acompanhamento rigoroso. Quando se sentem sozinhas arrancam as penas do corpo, ficando com vastas áreas completamente descobertas.A sua alimentação em cativeiro deve ser feita à base de amendoim, girassol e milho verde.Como suplemento alimentar, gostam de comer fruta, particularmente banana, mamão e coco, e algumas destas aves apreciam alguns gomos de laranja, se bem que esta possa ter algum efeito negativo no aparelho digestivo.Desaconselha-se vivamente manter estas aves fechadas em gaiolas.Tamanho médio em adulto: 75cm.
Aves
Águia-asa-redonda
© IVN Vecht & Plassengebied
(+) Foto original (800x404)
Wallpaper Postal
Nome científico
Buteo buteo
Esta ave de belo voar pode ser encontrada um pouco por toda a Europa, incluindo o território português, e é ainda encontrada até à Ásia Central.Evita o frio fazendo pequenas migrações para sul, onde não exista neve, para se alimentar em campo aberto. Na Primavera e no Verão volta a subir mais para norte, onde encontra bastante alimento nos campos verdes dos países mais frios da Europa.Da sua alimentação fazem parte todo o género de pequenos roedores, desde ratos, coelhos, esquilos, coelhos, e até furões. Também se alimenta de aves mais pequenas, ou mesmo de carcaças de animais mortos.Em adulta mede entre 50 e 55 cm e pode ter uma envergadura de cerca de 1,20 metros.O seu estatuto de conservação não é preocupante, já que o número de indivíduos ainda é abundante.A postura desta ave é de 2 a 4 ovos, que eclodem cerca de 34 dias após a postura.
Aves
Águia real
© Kunsan National University
(+) Foto original (252x227)
Wallpaper Postal
Nome científico
Aquila chrysaetos
A águia real vive nas terras altas e montanhosas, podendo (por enquanto...) ainda ser vista em algumas serras de Portugal, voando em círculos, em busca da sua presa.A sua visão é excelente, permitindo ver ao pormenor tudo o que mexe no chão. As sua presas são ratos, coelhos e, pontualmente, répteis. O círculo descrito pela águia real serve para observar cuidadosamente cada palmo de terra por baixo de si. Se, eventualmente, algum dos animais que caça se encontrar por lá, atacará em voo picado, de forma decidida, deixando pouco espaço de manobra à sua presa.Para se manter no ar, a águia aproveita as correntes térmicas, que lhe permitem planar sem qualquer esforço durante algumas horas. Usa a sustentação que as suas asas lhe proporcionam de forma magnífica, batendo-as apenas para se manter na altura desejada.As águias reais fazem os seus ninhos nas encostas das serras, ou no topo de algumas árvores. Chegada a época da reprodução, põe dois ovos, que choca durante 38 dias.Após a eclosão das crias, a alimentação das mesmas é partilhada pelo casal.As águias reais podem ser observadas no Parque Natural do Douro Internacional e no Parque Natural da Peneda Gerês, estando nesta altura ameaçada a sua continuidade nos céus portugueses, principalmente pela caça que lhe foi, e continua a ser, movida por caçadores ilegais sem escrúpulos. Tem sido feito um enorme esforço no sentido de sensibilizar os habitantes destas zonas e os caçadores para este problema.
Aves
Periquito de colar
© Galeria z Czech
(+) Foto original (650x484)
Wallpaper Postal
O Periquito de Colar tem sua origem nas florestas da Índia, devendo o seu nome à faixa, de cor diferente da do restante corpo, que têm no pescoço.Estes aves não são uma boa opção para ter numa gaiola vulgar, mas para quem pretende ter um viveiro de grandes dimensões.Uma das características marcantes da espécie é a sua resistência a qualquer tipo de doença. A única coisa com que têm dificuldade de lidar é o frio. Se as sua patas gelarem, podem perder alguns dedos, pelo que é sempre necessário pensar na climatização dos viveiros nos meses frios do Inverno europeu.Gostam muito de sol, mas nunca durante o pico do calor, nem demasiados expostos. O local ideal para montar um viveiro é debaixo de uma árvore, voltado a nascente para receber os primeiros raios de sol da manhã.Existem várias colorações de Periquitos de Colar, e é isso que faz com que os criadores se apaixonem por esta raça.A sua alimentação deve ser adquirida em lojas da especialidade, que normalmente vendem uma mistura com todos os ingredientes necessários a estas aves. É recomendado fazer um suplemento à base de frutas e legumes, mas devem ser sempre bem lavados em água corrente.As fêmeas necessitam de cálcio em permanência, pelo que deve adquirir umas barras de cálcio com esse fim.Em adulto pode atingir os 30cm
Aves
Perdizes
© Alberto Rot
(+) Foto original (767x464)
Wallpaper Postal
Nome científico
Alectoris rufa
Esta ave encontra-se distribuída por todo o território de Portugal continental, podendo ser encontrada no meio da vegetação rasteira, em bandos de cerca de 10 indivíduos.Dado ser uma das espécies cinergéticas mais procuradas pelos caçadores, necessita de períodos de recuperação bem definidos e de zonas protegidas, para não colocar em risco a sua sobrevivência. A sua carne é muito procurada para efeitos culinários, sendo assim desde os tempos da monarquia, onde era muito apreciada e a sua confecção bastante cuidada.Muito resistente, alimenta-se de sementes e minhocas que encontra enquanto raspa com as suas patas.Esta pequena ave não é, por natureza, muito boa a voar, necessitando de bastante espaço para correr, fazendo depois pequenos voos rasantes, a baixa altura, para chegar a locais onde a vegetação seja mais densa e se sinta mais protegida dos predadores.Os locais onde mais facilmente se encontra são o Alentejo e o Nordeste Transmontano.São aves muito territoralistas, tendo o macho do grupo de afastar outros machos, durante a época da reprodução.A perdiz põe em média 12 ovos, que demoram cerca de 23 dias a eclodir, nascendo depois os perdigotos, que nessa fase são essencialmente insectívoros.As perdizes podem atingir os 35.cm.
Aves
Rouxinol do Japão
(+) Foto original (600x567)
Wallpaper Postal
Ao contrário do que o nome indica, esta ave não é natural do Japão, mas da Ásia continental. Contudo, como o comércio europeu com os países asiáticos era feita principalmente com o Japão, e foi lá que os ocidentais primeiro viram esta espécie, ficou assim baptizada.O que o tornou um animal tão procurado é o seu belo canto, mas a sua coloração também faz dele um maravilhoso pássaro de gaiola.Estes factores e a grande facilidade de reproduzir garantiram a esta ave um enorme sucesso.Hoje, podemos encontrar Rouxinóis com muita facilidade em qualquer loja de aves, a um baixo custo.A sua alimentação é também fácil de encontrar. É uma ave óptima para quem quer apenas ter uma companhia em casa, até porque não carece de cuidados de maior.Na gaiola, deve haver, para além dos poleiros, um tronco vertical, já que estas aves adoram arbustos.Além da água no bebedouro, deve ser disponibilizada uma banheira com água limpa e fresca.Em adulto pode atingir os 16cm de altura
Aves
Melro
© Arthur Grosset (Arthur Grosset)
(+) Foto original (500x333)
Wallpaper Postal

Nome científico
Turdus merula
Esta ave pode ser encontrada em toda a Europa, embora se aviste mais frequentemente na Península Ibérica.Esta espécie prefere os relvados amplos para procurar comida, por esse motivo é presença muito frequente nesses espaços, sobretudo ao início da manhã e ao fim da tarde. Esse comportamento levou a que se tornasse uma ave muito bem adaptada ao meio urbano, podendo ser encontrado no bairro mais movimentado, ou no meio das pessoas que passam, sem sentir qualquer receio das mesmas. É, no entanto, uma ave que pode ser encontrada em qualquer tipo de ambiente, aparecendo com muita frequência no meio das searas.O macho é ligeiramente maior que a fêmea e o seu bico é cor de laranja vivo, contrastando com as suas penas pretas, enquanto o bico da fêmea é mais claro, quase acastanhado, sendo também a coloração das penas menos intensa.Estas aves podem viver em cativeiro em gaiolas grandes. No entanto, para além de não ser uma ave canora, demonstra sempre grande tristeza, principalmente se for capturado em adulto.Os melros comem insectos, minhocas e bagas, é isso que procuram entre a relva fresca, mas não desdenham migalhas que ocasionalmente encontrem.Num ano normal, os melros fazem duas vezes criação. A fêmea põe em geral quatro ovos, que irão eclodir cerca de 15 dias depois.Os melros podem medir cerca de 25 cm, pesar 120 g e viver 10 anos.
São Bernardos
© Bicharada.net
(+) Foto original (800x600)
Wallpaper Postal



O cão doméstico descende do lobo. Logo, é um animal que, regra geral, necessita de um líder a quem seguir.No entanto, cada cão tem a sua personalidade e necessidades próprias, que devem ser entendidas e respeitadas pelos seus donos. Um cão nunca deve ser visto como uma peça de mobília! Se o fizer, corre o risco de se ele se tornar incómodo e desagradável.Além disso, o comportamento dos cães não é, nem pode ser, igual entre raças, nem sequer dentro de uma raça, sendo moldado em função dos donos, do espaço onde vivem, do modo como são tratados e alimentados, etc. Os comportamentos que aqui descrevemos devem ser entendidos como sendo os mais comuns, mas é normal e natural que o seu cão apresente algumas características diferentes. Não fique preocupado!Ouça sempre a opinião dos criadores das diversas raças, eles conhecem melhor que ninguém as caracteristicas da raça que criam e das particularidades dos animais por si criados.
Para, além disso, se pensa que a sua experiência pode ser útil a outros utilizadores, participe: envie-nos as suas opiniões e «dicas», e teremos todo o gosto em procurar uma forma de as partilhar.

Peixes
Arlequim
(+) Foto original (552x300)
Wallpaper Postal
Nome científico
Rasbora heteromorpha
Originário do sul da Ásia e bastante pacifico, o arlequim vive com facilidade em aquários comunitários. No entanto, prefere a companhia de mais um ou dois elementos da sua espécie.A sua facilidade em superar variações no pH da água do aquário torna-o um peixe especialmente atractivo para iniciados.Comprimento quando adulto: 5,5 cmTemperatura da água: 26 a 28 ºC
Peixes
Olho de Fogo
Wallpaper Postal
Nome científico
Hemigrammus ocellifer
Originário da América do Sul, é um bom peixe para aquários comunitários.Muito sociável, gosta de viver em grupos de vários elementos, os seus olhos sobressaem dando-lhe o nome.Comprimento em adulto 4cmTemperatura da água 23º a 28º
Peixes
Tubarão bicolor
© Badman`s Tropical Fisch
(+) Foto original (654x399)
Wallpaper Postal
Nome científico
Labeo bicolor
Peixe originário da Tailândia.Esta espécie, apesar de ser muita atractiva pelo seu aspecto, desaconselha-se vivamente para aquário comunitário onde haja peixes muito pequenos.É voraz e agressivo, e normalmente provoca a morte dos peixes de menor dimensão.Com peixes de igual ou maior tamanho tende a ser mais pacifico.Comprimento quando adulto 15 cmTemperatura da água 22º a 26º

































Macaco Prego

Acará-bandeira
Macuco
Acará-disco
Maracajá

Acará-festivo
Mico Leão
Agrião
Mico Leão Dourado

Alma-de-gato
Mico Leão da Cara Preta
Anta
Mico Leão da cara dourada
Apistograma
Mico leão preto
Aranha Armadeira
Muriqui

Aranha-marrom
Mutum Pinima

Arara Azul
Neon Cardial ou Tetra-cardinal
Ararajuba
Neon Negro
Ararinha Azul

Olho-de-fogo
Azulão

Onça Pintada

Bacurau
Onça Preta

Bem-te-vi

Oscar ou Apaiari Oscar ou Apaiari - Artigo
Boto (Inia geoffrensis)

Ouriço-caheiro

Borboleta
Paca

Borboleta-mármore
Panaque
Bugio Preto

Papagaio de peito roxo
Bugio ou Guariba

Peixe-boi

Caboclinho

Peixe Borboleta
Caiçaca

Peixe folha
Capivara

Pimelodus pintado

Carcará

Piranha

Cascavel
Pintassilgo

Cervo-do -Pantanal
Pirarucu
Chilodus
Preguiça

Cobra papa-pinto

Preguiça real

Coral
Puxa-puxa
Coral da Mata Atlântica
Quati

Coridora
Quero-quero
Coruja-buraqueira
Ramirezi
Curió
Ratão do banhado

Curviceps
Rela rela de tingir
Ema
Rodostomos
Embuá

Rodostomus
Enfermerinha
Sabiá-laranjeira
Engraçadinho
Sagui cabeça de algodão


Farovela
Sagui Bigodeiro

Foguinho
Sagui Branco

Fuinha

Sagui Leãozinho

Gambá

Saracura três-potes
Gato dos pampas

Sarapó
Gato Mourisco

Suçuarana

Gato-do-mato

Surucucu

Harpia
Tamanduá

Irara

Tamadua-í
Jaburu

Tartaruga da Amazônia

Jacaré-açu
Tartaruga de couro
Jacaré de Papo Amarelo

Tatu-canastra

Jack Dempsey
Tatu-galinha

Jacutinga

Tatu-peludo

Jaguatirica

Teiú
Jararaca
Tetra-imperador
Jararaca do rabo branca
Tetra-limão
Jararacuçu

Tetra-preto
Jibóia
Tucano-de-bico-preto

Jurupari
Tucano de peito amarelo

João de Barro
Uacari branco

Jupará - macaco, gato ou urso?
Uirapuru
Lobo Guará

Urutu Cruzeiro
Louva a Deus
Veado Catingueiro

Macaco Aranha

Veado Mateiro

Macaco Barrigudo

Viúva-negra

Aguia-americana
Maracajá

Águia Dourada
Mico Leão
Águia-filipina
Mico Leão Dourado

Águia-pesqueira
Mico Leão da Cara Preta
Ararinha Azul

Mico Leão da cara dourada
Arara Azul

Mico leão preto
Ararajuba

Muriqui

Bugio Preto

Mutum Pinima

Bugio ou Guariba

Onça Pintada

Cervo-do -Pantanal
Onça Preta

Cisne-de-Pescoço-Preto
Panda-Gigante

Cobra Papa-pinto

Papagaio do Peito Roxo

Ema

Peixe-boi

Gato-do-mato

Sagui cabeça de algodão


Gato Mourisco

Sagui Bigodeiro

Gorila

Sagui Branco

Harpia

Sagui Leãozinho

Jaburu

Suçuarana

Jacutinga

Surucucu

Jacaré-açu
Tamanduá

Jacaré do Papo Amarelo

Tangará
Jaguatirica

Tartaruga da Amazônia

Lobo Guará

Tartaruga de Couro

Macaco Aranha

Veado mateiro

Macaco Barrigudo

Veado Catingueiro

Macaco Prego



Macuco Cão de Água Português
» Basset Hound
» Boxer
» Bull terrier
» Bulldog
» Castro Laboreiro
» Chihuahua
» Chow Chow
» Cocker-Spaniel
» Dálmata
» Doberman
» Dog alemão
» Épagneul Breton
» Fila de São Miguel
» Fox Terrier
» Husky siberiano
» Mastim Napolitano
» Pastor alemão
» Perdigueiro Português
» Podengo
» Poodle
» Rafeiro
» Rafeiro Alentejano
» Retriever do Labrador
» Rottweiler
» São Bernardo
» Serra da Estrela
» Serra D`Aires
» Setter Inglês
» Setter Irlandês
» Terra Nova
» Yorkshire Terrier
Cavalos
» Garrano
» Lusitano
» Puro Sangue Árabe
» Puro Sangue Inglês
» SorraiaFormigas
» Formiga Argentina
» Formiga Carnivora GiganteGatos
» Abissínio
» Angorá
» Persa
» Rafeiro
» SiamêsGatos
Grandes felinos
» Chita
» Jaguar
» Leão
» Leopardo
» Ligre
» Lince
» Tigre
»
Porquinhos da Índia
» Abissínio
» Alpaca e Mohair
» Coroado
» Pêlo Curto
» Peruano e Angorá
» Rex e Teddy Americano
» Sheltie e Coronet
» Teddy Suiço
» Texel e MerinoRépteis
» Anaconda
» Cágado
» Cobra-do-milho
» Crocodilo de água salgada
» Dragão de Komodo
» Iguana Verde
» Jibóia
» Tartaruga de Face Rosada
» Víbora CornudaRoedores
» Cão da Pradaria
» Capivara
» Chinchila
» Coelho
» Coelho bravo
» Degu
» Esquilo da Sibéria
» Hamster Roboroski
» Hamster Sírio
» Lebre
» Lontra
» Ratazana

clique no nome de um aimal para visitar o seu site

Qual menor espécie de formiga?
Acredita-se que a menor formiga seja brasileira Carebara mayri. As operárias dessa espécie podem ter menos de 1 milímetro e dificilmente são vistas a olho nu. As maiores operárias conhecidas vivem também no Brasil. São de espécie Dinoponera gigantea e chegam a medir quase 4 centímetros.

0 Comments:

Post a Comment

<< Home